Cinemas podem ser obrigados a ter sessões adaptadas para autistas

As empresas que possuem salas de cinema em Campo Grande podem ser obrigadas a dispor de no mínimo uma sessão por mês adaptada para pessoas com autismo ou que tenham deficiências que provocam “hipersensibilidade” sensorial. O projeto de lei foi aprovado ontem (28), na Assembleia Legislativa.

As sessões devem ter luzes levemente acesas, volume de som reduzido e sem exibição de trailers ou propagandas comerciais. Durante a exibição dos filmes, os familiares e acompanhantes que comprarem ingressos podem ter acesso irrestrito a sala, podendo entrar e sair ao longo do filme.

As empresas terão que realizar treinamento em seus funcionários para atendimento adequado a este público, podendo ter auxílio de entidades que já trabalham na área, para escolha dos filmes, horários e características para estas sessões adaptadas.

Com a lei em vigor, será concedido o prazo de 120 dias para as empresas se adequarem as medidas. Caso descumpram as regras, poderão pagar multa de 100 uferms (R$ 3.314,00), que pode ser dobrada.

“A participação de pessoas com espectro autista em cinemas é um verdadeiro desafio, pois  a hipersensibilidade auditiva e visual, a necessidade de permanecer sentado por um longo tempo tornam difícil assistir a uma sessão convencional”, justificou o autor do projeto, o deputado José Carlos Barbosa (DEM).

Foto: Divulgação – UCI

Ad

Você também pode gostar...