O que você entende por direitos humanos? – Leia na coluna de Ana Lúcia Américo

* Ana Lúcia Américo escreve a coluna ‘Dialogando sobre direitos humanos’, toda semana no Folha Morena

 

Falar sobre os direitos humanos no contexto atual nos remete a um desafio, pois a visão que cada um possui sobre direitos humanos é muito intrínseca, já que o conceito precisa considerar a história de vida de cada pessoa.

É muito complexo falar sobre vulnerabilidade, perda de direitos a quem nunca sofreu, presenciou ou não teve um ente querido envolvido em algum episódio de violência, direitos violados ou mesmo que tenha tido o direito mais primordial que é o direito à vida, à sobrevivência negada ou exposta.

Portanto, falar em direitos humanos é mais do que meramente um discurso, um conceito, mas é também uma questão de vivência, experiência de consideração não somente a si mais aos demais seres humanos.

Assim, é importante frisar que na medida em que formos percebendo o outro como parte integrante do processo de uma sociedade, seus direitos, deveres, necessidades, daí sim, podemos iniciar uma reflexão sobre o que são pra que serve o tão chamado e por muitos odiado direitos humanos.

Assim, caríssimo (a) leitor (a), gostaria de deixar uma reflexão para este início de bate papo, o que você entende por direitos humanos? O que você espera dos direitos humanos, e, sobretudo como você vê os temas; diversidade, pluralidade de ideias, violência, direitos violados, violência, feminicidio entre outros.

Uma boa semana, e até a próxima edição com uma matéria, tenho certeza, empolgante para nossa reflexão sobre direitos humanos.

Grande abraço!

O mundo tornou-se perigoso, porque os homens aprenderam a dominar a natureza antes de se dominarem a si mesmos. – Albert Schweitzer

Os direitos humanos versam em direitos naturais afiançados a todo e qualquer indivíduo, e que devem ser universais, a todas as pessoas de todos os povos e nações, independentemente de sua classe social, etnia, gênero, nacionalidade ou posicionamento político.

 

*Possui graduação em Serviço Social pela Universidade Católica Dom Bosco (1999) e mestrado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional pela Universidade Anhanguera Uniderp (2012). Atualmente atuando como Superintendente da Politica de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho-SEDHAST. Exercendo o mandato de 2015/2016 como Presidente do Conselho Estadual da Pessoa HUmana e Coordenadora do Comitê Estadual de Erradicação de Documentação Básica e Subregistro (2015-2017).