Governo terá prova e novas regras para contratar professores temporários

O governo estadual enviou projeto que prevê novas regras para contratar professores temporários, para rede estadual de ensino. Entre as mudanças está um contrato de um ano para o profissional, podendo ser prorrogado por mais um (ano), além de processo seletivo para esta escolha.

Haverá outras mudanças como, pagamento de adicional de até 10% para lecionarem em locais distantes, sendo de forma escalonada, além de 30% ao invés de 50%, de adicional para dar aulas em presídios, devido ao risco de vida, para trabalhar nestes locais.

O salário dos temporários será diferente dos efetivos, mas no projeto não foi fixado o valor ou percentagem desta remuneração. Também foi colocado que o governo pode ceder professores aos sindicatos municipais de educação, mas o ônus será para as entidades, ou seja, os sindicatos é que terão que pagar os salários e não o governo.

O processo seletivo vai ocorrer no segundo semestre, para que os novos contratados comecem as atividades no ano que vem. Haverá um cadastro de reserva para estes profissionais. A intenção dos deputados é apresentar uma emenda em que após dois anos, seja feito novo processo seletivo.

O projeto deve ser votado amanhã (10) na Assembleia Legislativa, em regime de urgência. O governo alega que vai economizar até R$ 130 milhões por ano com esta mudança nas regras. Já os professores querem que a proposta fique para semana que vem,

Ad

Você também pode gostar...