Simone já busca votos para tentar ser presidente do Senado Federal

A senadora Simone Tebet (MDB) já busca os votos necessários para se eleger presidente do Senado Federal, a partir de fevereiro de 2021. Se ela tiver o apoio da maioria, vai se tornar a primeira mulher a ocupar o cargo, que é um dos mais importantes da política brasileira.

O MDB confirmou ontem (12) a candidatura da senadora Simone Tebet (MDB-MS) por unanimidade à presidência do Senado. Os outros postulantes do partido (senadores Eduardo Braga, Eduardo Gomes e Fernando Bezerra) desistiram de concorrer.  A eleição será em 1º de fevereiro.

O anúncio do nome de Simone Tebet ocorreu após a reunião da bancada que oficializou a filiação de outros dois senadores ao MDB, Rose de Freitas (ES) e Veneziano Vital do Rêgo (PB). Dessa forma, a bancada passa a ter 15 integrantes.

O partido ainda ressaltou o compromisso do MDB com agenda fiscal, a redução das desigualdades e a pauta ambiental, entre outros. Braga ainda lembrou que ao escolher Simone como candidata o partido também valoriza a participação da mulher na política. Se vencer, a senadora sul-mato-grossense será a primeira mulher a presidir o Senado em quase 200 anos de história.

Simone é a atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), considerada a mais importante da Casa. À frente do colegiado, demonstrou seriedade, disciplina e capacidade de diálogo e negociação. Respeitada entre os pares, Simone já foi reconhecida diversas vezes por sua atuação e pelo conhecimento técnico e jurídico.

“Essa caminhada é a cara do partido que nós representamos. O MDB não podia pregar a democracia se não a exercesse internamente. E foi isso que aconteceu nesses dias. Soubemos respeitar os espaços de cada um”. A parlamentar ainda defendeu a “independência harmônica a favor do Brasil”.

Nos momentos mais difíceis da nossa história foi o Senado que achou a saída dentro das instituições, da democracia e do estado democrático de direito”, lembrou. Ela ressaltou o papel do Senado neste momento em que se discute a imunização da população contra o Covid e há a necessidade da aprovação de reformas estruturantes. “Independência não significa oposição ao governo como muitos querem. Significa harmonia para ajudar nas pautas prioritárias a favor do Brasil, disse e finalizou: “Com humildade recebo essa missão, dizendo que é um projeto do MDB, do Senado e do Brasil”.

Com Assessoria

Ad

Você também pode gostar...